Dicas para a Serra Fina

Dicas Serra Fina para feriadão do 1º de maio de 2007.
 
Amigos do T & T e afins.
 
Passei pel

Dicas Serra Fina para feriadão do 1º de maio de 2007.
 
Amigos do T & T e afins.
 
Passei pela Serra Fina na Páscoa (6/7/8 de abril de 2007) e informo que aquilo lá está um inferno. A trilha está mais fechada que mão de pão-duro. Para vocês visualizarem o percurso, imaginem-se dentro das selvas da Coréia do Norte naqueles filmes americanos sobre a Guerra do Vietnã.
 
01- Tudo dentro da mochila, menos o isolante térmico (este bem amarrado, bem amarrado mesmo). Não se atreva a deixar nenhum penduricalho, por menor que seja, para fora da mochila;
 
02- Se você ainda tem aquela capa que quando a utiliza na mochila, e esta está toda em uso – no talo -, a capa fica parecendo micro-saia, providencie rápido uma que cubra toda a mochila com sobras. Se for comprar, pode adquirir aquelas verde-limão, amarelo-cítrico ou rosa-escândalo. Até a última travessia da Serra Fina, achava que capas nas cores citadas cabiam mais em um desfile de escola de samba. Depois de andar com nevoeiro denso, somente elas e minha calvície lunar apareciam e sinalizavam o caminho;
 
03- Passe em alguma loja que venda equipamentos de proteção individual (EPI) e compre aqueles óculos transparentes de proteção, muito utilizados por serralheiros e soldadores. Não são caros nessas lojas e são FUNDAMENTAIS para a travessia. Também leve algum líquido para passar na lente de uma maneira que evite que fiquem embaçados, pois se não fizerem isso, de 5 em 5 minutos vocês terão que tirar e limpar para voltar a enxergar algo. Só para ilustrar a real importância deste EPI: um participante aqui de JF, que não levou, teve a córnea arranhada pelo safado, meliante, desqualificado, facínora, proxeneta capim navalha. NÃO DEIXE DE LEVAR;
 
04- Passe em alguma loja que venda produtos para motociclistas e compre aquelas luvas de linha que eles utilizam. TAMBÉM SÃO FUNDAMENTAIS. Não levei e saí com as mãos lanhadas. Parecia até que tinha cortado cana-de-açúcar por três dias inteiros;
 
 
 
05- Meninas: nada de brinco, piercing (na sobrancelha, nariz, etc), anel, cordão. Imagine-se entrando na trilha como veio ao mundo – sem nenhum adorno, apenas vá vestida com a roupa inerente à atividade de trekking. Permitido batom, caso contrário, o feminino fica muito esmaecido;
 
06- Celular da TIM pegou numa boa;
 
07- Leve duas garrafas PET de 2 litros mais “Camel Back” (contando que vc tem um de 2,5 litros) para água. Foi o que levei e a água deu numa boa (travessia de três dias), inclusive para cozinhar. Bom, digo que deu, pois administrei seu consumo muito bem, ou seja, quando tinha sede, não saía bebendo água igual um camelo desmiolado e desidratado, tomava pequenos goles e molhava todo céu da boca, antes de degluti-la. Se for começar pela Toca do Lobo, basta encher o “Camel” e uma garrafa PET;
 
08- Aqueles aminoácidos ramificados (acho que é BCAA) vendidos em lojas de marombeiros ajudam a evitar câimbras, mas não dispensei o meu bom e velho Dorflex – não há pastilha melhor para a travessia da Serra Fina;
 
09- Meninos – levem um facão AFIADO com 40 cm e com boa pega (sem trocadilho – por favor – ( Use o mesmo com o menor impacto ambiental, se isso é possível). Desculpem os trekkistas extremados no que tange à proteção ambiental, mas aqui se faz necessário, afinal, trata-se de sobrevivência;
 
10- Menor nº de barracas possível – barraca de dois lugares – durmam 3, de três lugares, durmam 5 e assim por diante. Lembrem-se: já que vocês estarão no inferno, abracem o capeta e vão. Será apenas um contato físico mais intenso, mas está todo mundo morto e nada sobe ou funciona, restando apenas as pálpebras que descem e você apaga logo. Para Serra Fina, é melhor barraca de um ou dois lugares, compridas e finas. Barracas de três ou mais lugares necessitam de espaços mais planos para serem montadas. Acontece que espaço plano na Serra Fina é coisa que não existe;
 
11- Quem nunca fez um bivaque é a hora de experimentar. Prepare-se para isso, caso queira. Menos peso, pois adeus barraca;
 
12- Protetor solar e labial – MESMO SEM SOL. Caso tenha Sol, além do citado, óculos escuro – aquele tipo abelhão – é essencial;
 
13– Não caminhe muito perto do amigo, caso contrário você terá uma aula prática de sadomasoquismo, pois levará muitas chibatadas daqueles bambuzinhos tarados e sexualmente pervertidos. Ao serem largados pelo trekkista à frente, eles voltam com uma velocidade e inércia que fará você sentir dor e sem prazer;
 
14- Dois rádios de comunicação são importantes, mais ainda se o grupo estiver grande. ATENÇÃO: PILHAS ALCALINAS NOVAS e com um jogo para troca – Quando chegarem no acampamento, lembre-se de desligar os rádios;
 
15- Uma lanterna decente também é útil.
 
16 – Um colírio antiinflamatório, um antihistamínico qualquer, um remédio para azia, esparadrapo, uma atadura elástica, um gel para caso de torção e emplastro medicinal – tipo Salompas – DEVEM SER LEVADOS. Procurem por medicamentos genéricos;
 
17- CAMINHEM DE MANGAS COMPRIDAS E DE CALÇAS, PRINCIPALMENTE AS MENINAS, POIS SE NÃO FIZEREM, FICARÃO COM AS PERNAS MAIS ENCALOMBADAS QUE RALADOR DE CÔCO;
 
18- Se a calça tiver bolso externo cuidado para não deixar nada de valor dentro dele, pois tive o desprazer de encontrar um bambu mais afoito que me açoitou, rasgou meu bolso e não percebi, quando notei já tinha perdido balas, remédio e protetor labial que nele estavam;
 
19-Um Anorak é fundamental;
 
20- Tudo enrolado em saco plástico dentro da mochila. Para coisas importantes (documentos) utilizo aquele tipo “Zip” de guardar alimentos congelados – mas cuidado – tem cada um que é uma merda, tente ver a espessura do plástico antes de comprar. Outra coisa que ajuda a achar coisas é arrumar as mesmas dentro da mochila em sacos plásticos de cores variadas e memorizar o que têm dentro deles. Colocar tudo dentro de saco de supermercado, ao abrir a mochila, você tem a sensação que está tirando compras do carrinho – fica tudo igual;
 
21 –Mínimo de roupa possível. É melhor levar meias, uma para cada dia, do que levar uma camisa para cada dia. Costumo andar com a mesma camisa e calça todo dia, apenas levo uma muda de roupa para dormir que também servirá para todas as noites, além disso, levo apenas uma camisa limpa para usar na saída, isso se não tiver uma maneira de deixar uma muda de roupa no resgate;
 
22- Para os meninos, um sungão de praia novo resolve numa boa e agüenta os 4 dias – nada de cueca. Para quem costuma assar com o atrito das coxas, aquelas bermudas elásticas (speedo) não deixam as “coxinhas” entrarem em ponto de sublimação e ficarem parecendo “carpaccio”;
 
23- Comida cada um leva a sua, mas se a turma for unida, a janta coletiva pode ser uma boa. Uma maçã por dia ajuda dar uma hidratada. Leve aquela pequena.
 
Bom, foi o que lembrei.
 
Boa diversão.
 
Fraterno abraço.
 
LHMoreira.
Juiz de Fora, 22/04/2007.
 

Deixe um comentário