Brasileiros encaram maratona no gelo da Antártida

Quando eu achava que já sabia tudo de ironman, ultraman e afins, eis que recebo um release sobre o "Ice Marathon", uma prova de 100 km, na Antártida

Quando eu achava que já sabia tudo de ironman, ultraman e afins, eis que recebo um release sobre o "Ice Marathon", uma prova de 100 km, na Antártida, na qual os competidores enfrentam o percurso sob um frio de  aproximadamente 30 graus negativos e ventos de 50km/h.Brasileiros encaram maratona no gelo da Antártida

E, claro, haverá brasileiros nesse desafio: o empresário Bernardo Fonseca, de 30 anos, e o analista financeiro Adriano Seabra, 36 anos. Eles embarcaram hoje para Puenta Arenas, no Chile, onde, no sábado, participam do briefing da competição, checagem dos equipamentos e procedimentos de emergência.

 – Correr 100km não me assusta, mas enfrentar temperaturas baixas, vento forte e disputar uma ultra-maratona no gelo, é inédito. Nossa meta é completar a prova – diz Bernardo.

No domingo, se o tempo no Pólo Sul permitir, a dupla embarca em um avião militar russo rumo à Antártida. A largada está marcada para o dia 15 de dezembro, com janela até o dia 18. Caso os ventos ultrapassem os 50km/h, o evento será adiado.

– Esta deve ser a parte mais perigosa. Nós vamos montar acampamento e o avião só voltará em dez dias, ou em caso de emergência. Mas treinamos sério, estamos preparados. Eu me afastei um pouco dos treinos devido à uma contusão na panturrilha, mas o Bernardo continuou firme e chega forte para a competição. Aprovamos os equipamentos, as roupas são leves e o tênis parece quente e confortável – completa Adriano.

Apesar de não criarem expectativas quanto ao resultado, a dupla levou a sério a preparação para prova: eles treinaram dentro de um frigorífico climatizado em -20º C, dormiram dentro de uma câmara refrigerada de um restaurante do Rio a -8ºC , acordaram às 3h da manhã para correr 30km e chegar ao trabalho sem perder a hora; encararam sozinhos uma prova de de 70km, em Florianópolis, que normalmente é feita em revezamento; e participaram da super-maratona Teresópolis-Friburgo, com seus 50km.

 É… que os ventos gélidos da Antártida dêem sorte a dupla!!! 

Deixe um comentário